Biopark realiza formação de analistas sensoriais com foco na avaliação de queijos finos



Se você é um apreciador de queijos vai gostar de saber que é possível ser um ‘provador’ treinado desse produto. Mas, não basta apesar gostar, é preciso estudar e se dedicar a conhecer todos os fatores que envolvem sabor, aparência, textura, entre outros aspectos de um queijo.  

Um curso oferecido pelo Biopark promove a capacitação desses profissionais que, após formados, passam a contribuir com o projeto de Pesquisa e Inovação em queijos finos. Os analistas são convocados, sempre que necessário, para avaliar um produto antes que este chegue até o consumidor final.  

“A análise sensorial tem um papel importante na indústria de alimentos para avaliação da aceitabilidade e preferência de um produto pelo consumidor frente à uma marca concorrente, no desenvolvimento de novos produtos, no controle de qualidade, entre outras aplicações”, explica Maike Tais Maziero Montanhini, especialista em queijos e consultora no Biopark. 

Para a execução da análise sensorial, são seguidos procedimentos e protocolos de acordo com uma metodologia científica, assegurando a confiabilidade dos resultados. Esta técnica utiliza os órgãos do sentido para determinar as características dos alimentos, que compreendem, principalmente, a aparência (visão), o odor (olfato), o gosto (paladar) e a textura (tato e, eventualmente, audição). 

O foco do curso é desenvolver nos participantes aptidões para reconhecer todas essas características sensoriais. “As análises realizadas determinam se o queijo está no padrão de qualidade estabelecido, por isso, há uma criteriosa seleção dos participantes. O analista formado adquire bagagem técnica, com fundamentos e conceitos da análise sensorial, e conhecimento prático, visto que em cada aula há degustação de queijos finos de referência”, destaca Carolina Balera Trombini, supervisora de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do Biopark. 

Para Fernanda Heloisa Simch, colaboradora do Biopark, o treinamento superou as expectativas. “O curso foi conduzido de maneira detalhada, embasada e organizada, simplesmente impecável. Com certeza, superou as expectativas e despertou ainda mais o interesse e a curiosidade por esse mundo maravilhoso. Espero poder contribuir para a avaliação dos produtos desenvolvidos tanto quanto o curso agregou para o meu conhecimento”, explica. 

Projeto Queijos Finos do Oeste 

O projeto de Pesquisa, Inovação e Desenvolvimento em Queijos Finos do Biopark tem como foco a transferência gratuita de tecnologia para produtores rurais da Região Oeste do Paraná, promovendo diversificação e mais renda para os participantes. A análise sensorial dos produtos é um dos benefícios que os produtores recebem sem nenhum custo. 

Hoje, com o incentivo do Biopark, já são comercializados cinco tipos de queijos finos produzidos por produtores rurais de Toledo, Cascavel e Diamante D’Oeste, e pela queijaria própria do parque, a Flor da Terra. 

Os produtores interessados em participar do projeto podem entrar em contato pelo telefone (45) 99122-8597. Os endereços de todas as queijarias participantes do projeto, bem como os tipos de queijos produzidos, podem ser encontrados no site https://www.biopark.com.br/queijosfinos/.

Postar um comentário

0 Comentários