Profissões em alta no cenário pós-pandemia exigem inglês avançado

  •  divulgação

 Levantamento aponta que as áreas que mais cresceram e empregaram no último ano exigem domínio do idioma

Com a pandemia, o mercado de trabalho passou por uma reformulação que alterou aspectos como empregabilidade e remuneração de muitas profissões. As transformações no modo de vida, de consumo e na forma de fazer negócios fizeram com que a lista de carreiras em alta e com maior demanda para o pós-pandemia fosse alterada. Áreas de saúde, tecnologia e criação de conteúdo estão entre as que viram as oportunidades aumentarem, mesmo em um cenário incerto e de crescente desemprego. O que não mudou, em relação ao mercado de trabalho, foi um aspecto que antes da pandemia já era considerado fundamental para qualquer profissional interessado em alcançar uma boa colocação: a exigência de Inglês avançado e fluente.

Um estudo realizado por Cambridge English e QS Intelligence Unit - que atua com coleta de dados do mercado empregador e de Educação - aponta que 95% dos empregadores de países não nativos em Inglês consideram o idioma importante e o reconhecem como a língua dos negócios. De acordo com o gerente de conteúdo do PES English, Luiz Fernando Schibelbain, ao se considerar as carreiras do futuro, é impossível crescer profissionalmente e conseguir uma boa oportunidade sem o domínio da língua inglesa. "Em um mercado cada vez mais globalizado, com enorme interação entre os países e negociações cada vez mais frequentes, ser fluente em Inglês já se tornou pré-requisito indispensável para a maior parte das profissões", afirma Schibelbain. 

Um levantamento do Linkedin deste ano apontou as profissões que estão em alta. "Ao analisar a lista, percebe-se que a maioria delas vai exigir dos bons profissionais, daqueles que buscam as melhores colocações nessas áreas de atuação, um domínio do Inglês que foge do básico ou intermediário. Os profissionais das áreas citadas terão que ser fluentes em Inglês", alerta. 

 

1) Médicos, enfermeiros e profissionais da saúde 

A Covid-19 fez aumentar ainda mais a empregabilidade dos profissionais da área de saúde, seja no Sistema Único de Saúde (SUS) ou em hospitais particulares. 

 

2) Cargos em tecnologia

Em um cenário cuja transformação digital se tornou o caminho para a sobrevivência de muitos negócios e uma alternativa para as limitações que a pandemia impõe ao modelo presencial, o mercado para profissionais da área de tecnologia apresentou crescimento ainda maior a partir de 2020. Entre os cargos mais promissores estão: designer (de interface do usuário, de produto), engenheiro de software, desenvolvedores (de front-end, back-end, de jogos, de web), analista de segurança cibernética e consultor. 

 

3) Farmacêuticos e pesquisadores

Esses profissionais estão sendo muito requisitados em função da demanda por estudos e desenvolvimento de medicamentos e vacinas, por exemplo. O Instituto Butantan, o IQVIA e o PRA Health Sciences estão entre os que mais contrataram em 2020. 

 

4) Cargos em vendas e desenvolvimento de negócios

Com muitos negócios precisando se adaptar para sobreviver à pandemia, a procura por profissionais capacitados e com condições de orientar empresas e investidores aumentou. Cargos como especialista em vendas, diretor executivo ou diretor de vendas familiarizados com a transformação digital estão entre os mais promissores.

 

5) Especialistas em e-commerce

Ao longo da pandemia, o consumidor aderiu de vez ao e-commerce, salvando comerciantes e tornando os especialistas em comércio eletrônico altamente valorizados. Profissionais da área de vendas on-line e logística, por exemplo, viram a contratação nessa área aumentar 43% em relação a 2019.

 

6) Profissionais autônomos de conteúdo

Em um novo cenário, empresas foram obrigadas a mudar a abordagem junto ao público alvo, aumentando o investimento em marketing digital e produção de conteúdo. Para os profissionais dessa área, o crescimento de 2019 para 2020 foi de 74%.

 

7) Especialistas em marketing digital

O marketing digital foi fundamental para que empresas encontrassem uma nova forma de se relacionar com o consumidor. Um bom profissional da área de marketing, mídias digitais e sociais deve saber lidar de maneira profissional e especializada com ferramentas digitais em que o conteúdo disponível em língua inglesa é muito grande.

 

8) Profissionais de finanças

A instabilidade econômica gerada pela pandemia fez aumentar a necessidade de buscar alternativas de sobrevivência e a área financeira de cada empresa se tornou ainda mais estratégica, dando a consultores e contadores mais oportunidades de emprego. Além disso, bancos e corretoras financeiras foram os principais responsáveis pelas contratações na área econômica. 

 

9) Cargos de apoio à saúde 

Com a área da saúde em destaque por conta da pandemia de Covid-19, laboratórios, hospitais, clínicas e farmácias tiveram aumento na demanda por serviços. 

 

10) Análises de dados

Com boa parte dos negócios e empresas baseando as operações por meio de plataformas digitais, engenheiros de dados, analistas de dados e analistas de desempenho são profissionais bastante requisitados no mercado, tanto para comércio, quanto indústrias e serviços.

 

11) Cargos em customer success (sucesso do cliente)

O e-commerce e a necessidade de oferecer suporte ao consumidor impulsionaram o chamado customer success (sucesso do cliente). 

 

12) Especialistas em saúde mental 

A pandemia exacerbou estados como estresse, ansiedade e depressão, fazendo o setor de saúde mental crescer 34% em relação ao ano anterior. Psiquiatras e psicólogos se tornaram mais importantes ainda com a pandemia, e a regulamentação das teleconsultas fez aumentar a procura por esse tipo de atendimento.

 

Quatro das 12 profissões indicadas no estudo são da área da saúde que, segundo Schibelbain, exige a língua inglesa em atualizações, congressos e simpósios. “Nessa área, apenas a graduação não é suficiente para o sucesso profissional”, adverte. Outra área bastante demandada envolve tecnologia - um setor que vai exigir a língua inglesa desde o início dos estudos. Já os cargos em vendas e marketing digital (cinco dos 12 da lista) por si só já trazem nomenclaturas em Inglês. "Além disso, ainda são poucas as ferramentas e soluções para esse mercado em língua portuguesa e o conhecimento do inglês amplia substancialmente a compreensão e o alcance lexical do profissional", pontua Schibelbain.

Postar um comentário

0 Comentários