Thais Riedel se compromete com o enfrentamento da violência contra mulheres

 A pré-candidata à presidência da OAB-DF, Thais Riedel, firmou compromisso de incluir o fornecimento de advogados e advogadas para contribuir com os Núcleos Integrados de Atendimento à Mulher (Nuiams), quando for eleita. A iniciativa fará parte do projeto Prosperar, que visa acolher e capacitar jovens e iniciantes na advocacia


“Nesta semana, sob a dolorosa sombra da perda de mais uma vida feminina vítima de seu parceiro, a 18ª só neste ano, nós precisamos dar um passo adiante. Sair do sonho de um mundo sem violência e partir para ação. Nós seremos ação. Nós vamos oferecer aos advogados que ingressam no mercado uma experiência profissional agregadora, com conhecimento sobre atuação em delegacias de polícia, além de conhecimento sobre Direito das Mulheres, e nós ofereceremos à sociedade, às mulheres vítimas de violência, um local de acolhida e de informação para o exercício pleno de seus direitos. Isso porque a OAB-DF precisa ser apoio para o advogado, mas também para a sociedade”, disse Thais.

O compromisso foi firmado por Thais Riedel com a coordenadora jurídica do Acordo Técnico de Cooperação entre a Associação Brasileira de Advogados e a Polícia Civil do Distrito Federal, Dinah Lima, em encontro de mulheres advogadas do Guará, Águas Claras e Núcleo Bandeirantes. “O que a Thais está fazendo é encorajar mulheres para empoderá-las. Primeiro a gente encoraja, depois capacita as mulheres, as municia de informações e depois nós as empoderamos para que elas sejam donas de suas vidas e de seus destinos”, afirmou Dinah.


O projeto Prosperar vai acolher, oferecer mentoria e capacitar os jovens e advogados iniciantes que recebem a carteira da OAB. “Hoje, o programa existente atente menos de 1% dos jovens que ingressaram na OAB nos últimos três anos. Esse número é insuficiente. É ruim para a advocacia e para a sociedade. Vamos criar um programa de excelência e a participação nas Nuiams agrega uma competência importante para os advogados, que pretendem atuar na área criminal. Saímos da faculdade sem saber como nos comportar numa delegacia”, afirmou a coordenadora da Advocacia Jovem e Iniciante do Movimento Respeito é a Ordem,Monise Lima, reforçando a importância do projeto.

Fotos: Juliana Oliveira.

Postar um comentário

0 Comentários