Autor da Lei de Autonomia do Banco Central, Plínio Valério destaca desempenho do BC em 2021

Autor da Lei que deu autonomia ao Banco Central, o senador Plínio Valério (PSDB-AM) destacou o lucro de R$ 85,9 bilhões registrado pelo BC em 2021, ano em que foi sancionado o projeto de lei de sua autoria. O balanço foi aprovado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN)

Foto: Facebook.

Do lucro total de R$ 85,9 bilhões, R$ 14,2 bilhões referem-se a operações cambiais e ganhos com as reservas internacionais. Os R$ 71,7 bilhões restantes correspondem ao lucro operacional e serão repassados ao Tesouro Nacional até 7 de março.

“Como autor da Lei que deu autonomia ao Banco Central, fico muito feliz com esse balanço. Tirar o Banco de interferências políticas trouxe confiança e mais investimentos para o país. Estamos no caminho certo. Sem dúvida, um grande avanço que conseguimos para a economia”, avalia o senador amazonense.

Com a Lei do senador Plínio Valério, o Banco Central do Brasil hoje se equipara aos BCs dos países mais avançados quando se trata de política monetária independente. Em votação histórica, ao final de quase 30 anos e nove tentativas frustradas, o Congresso Nacional aprovou o projeto do senador amazonense que institui a autonomia operacional do Banco Central. A mudança, que impede ingerência política na política monetária dando uma espécie de estabilidade ao presidente e diretores do banco na troca de presidentes da República, trouxe segurança jurídica e política e foi a reforma mais importante aprovada pelo governo federal.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem