Paróquia Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Mercês é mais antiga que a cidade de Brasília

Missa solene celebrou o aniversário de 63 anos de fundação da Paróquia Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Mercês, que foi inaugurada em 1959 para atender pioneiros na construção da capital federal e que hoje é referência de fé e empreendedorismo no Distrito Federal



Uma paróquia acolhedora, com um trabalho social consistente e que a cada dia consegue atender mais gente, unindo evangelização e caridade. Assim pode ser definida a Paróquia Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Mercês, localizada na quadra 615 da avenida L2 Sul, em Brasília. A Paróquia, uma das mais antigas do Distrito Federal, e completou os seus 63 anos de fundação nesta quarta-feira (2/02). A data será lembrada com a celebração de uma missa solene, que deve reunir toda a comunidade e integrantes das diversas pastorais e movimentos que garantem o funcionamento longevo e reconhecido da Igreja.

Ao explicar a importância da data, o pároco frei Rogério Soares, lembra que chegar a essa marca, depois de dois anos de pandemia tem um significado especial. “Por meio de orações, da acolhida e das muitas transmissões, conseguimos fazer da nossa igreja um bálsamo para aqueles que estavam com medo, inseguros e tensos com as limitações que a covid-19 impôs às cidades”, pontuou completando que centenas de vulneráveis de várias regiões do Distrito Federal têm encontrado apoio na paróquia que, dessa forma, se consolida como “um farol de luz e esperança”.

Como exemplos dos trabalhos sociais desenvolvidos, frei Rogério destaca o projeto Coração Aberto, o Petas do Frei e a Feirinha do Frei, que garantem renda e sustento de quem precisa. Além das iniciativas que buscam a emancipação da pessoa assistida, por meio do seu trabalho e do incentivo ao empreendedorismo, a igreja mantém a distribuição de alimentos e outras ajudas materiais em casos emergenciais.

Trajetória da Paróquia
A história da Paróquia Sagrado Mercês remonta à época da construção de Brasília. Tanto que a sua inauguração se deu pouco mais de um ano antes da fundação da capital federal. Em 1959 foi autorizada pelo então arcebispo de Goiânia, Dom Fernando, a funcionar como igreja a paróquia Sagrado Coração de Jesus, sob a administração de Padre Eduardo, missionário do coração de Jesus. Foi quando passou a atender pioneiros e candangos que chegaram para construir a cidade. Apenas anos mais tarde passou a integrar a arquidiocese de Brasília.

Em mais de seis décadas, a igreja foi palco de centenas de celebrações sacramentais: casamentos, crismas, batizados, novenas. Uma infinidade de eventos que trouxeram conforto espiritual e permitiram o mais genuíno exercício da fé cristã. Com a saída dos padres missionários em 1989 para Minas Gerais, Dom Falcão com o intuito de tornar conhecida a devoção a nossa senhora das Mercês aqui no planalto central, ofereceu aos padres mercedários a administração da paróquia.

A missão administrativa e devocional foi conferida ao padre José Fernandez Martinez que contou com o auxílio dos padres Fernando Cascón Raposo e Manuel Louzada para desenvolver esta incumbência evangelizadora .

A construção do atual templo foi um desafio, vencido pelos mercedários com o apoio e o compromisso da comunidade. Em 17 de outubro de 1993 foi realizada a dedicação do templo e o acréscimo do nome de Maria ao nome original da paróquia. A partir de então passou a se chamar Paróquia Sagrado Coração de Jesus e nossa Senhora das Mercês.

Petas do Frei
Tudo começou em agosto de 2020, quando, segundo o idealizador do projeto, frei Rogério Soares, muitas pessoas chegavam à Igreja Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Mercês, na Asa Sul, pedindo ajuda. “Pediam de tudo, do alimento ao gás, mas, mesmo que conseguíssemos dar isso tudo para as pessoas, uma hora iria acabar, e elas precisariam de mais. Então, pensei em uma forma de geração de renda para que pudessem tirar o sustento a partir dali”, explica o religioso.

E assim nasceu a marca Petas do Frei. Fabricados em Anápolis (GO), os biscoitos são ensacados em Brasília, ganham adesivos e, então, são entregues a dezenas de pessoas desempregadas que vendem os produtos nas ruas da cidade. Os produtos são levados em consignação e, com o dinheiro gerado pelas vendas, paga-se o custo, enquanto o restante – o lucro – fica para o vendedor.

“Eu agradeço muito a oportunidade porque foi uma luz quando fiquei desempregada durante a pandemia. Acreditei no produto e saí para vender. Ofereço as petas até nos sinais [semáforos] e vendo bastante; está dando para pagar as contas”, contou Maria do Socorro Lima, a primeira vendedora das Petas do Frei. De agosto para cá, ela não só consegue o sustento da família por meio do projeto, como também já tem um CNPJ como Microempreendedor Individual (MEI).


Juntamente com os cerca de 30 vendedores dos biscoitos, a marca cresceu. Com ajuda da fábrica goiana, ganhou embalagem personalizada e agora, está nas prateleiras de uma grande rede de supermercados do Distrito Federal, onde o produto passará a ser vendido. Atualmente, 12 mil unidades chegam semanalmente à capital federal – somando com o supermercado e os vendedores individuais.

Com a garantia de obter uma renda que varia entre R$ 100 e R$ 150 por dia, os vendedores do biscoito participam, todas as quintas-feiras pela manhã, de cursos gratuitos de formação empreendedora oferecidos pelo frei Rogério. Lá, aprendem educação financeira, técnicas de venda e empreendedorismo. “São matérias essenciais para desenvolvimento deles”, enfatizou o criador do projeto, que incentiva a formalização para que os vendedores possam ter acesso à seguridade social, de saúde e aposentadoria.

Feirinha do Frei
Um dia inteiro de compras e de oportunidades. Dessa forma pode ser traduzida a primeira edição da Feirinha do Frei, a mais nova iniciativa social da Paróquia Sagrado Mercês, que fica na Asa Sul em Brasília. A feira reuniu 12 expositores atendidos no Programa Coração Aberto, lançado há quatro meses pela igreja com o propósito de acolher, orientar e ajudar pessoas que perderam as fontes de renda por causa da pandemia da covid-19. Montadas no estacionamento da Paróquia, as barracas padronizadas ofereceram produtos variados ao longo de todo o dia.



Quem esteve no local pôde saborear alimentos variados: de empadas a pães caseiros feitos com ingredientes pouco convencionais, como farinha de banana, além de geleias, picolés e doces. Também foi possível comprar peças de artesanato como enfeites, tapetes, além de vasos e suportes para plantas. Dona Aparícia, expôs uma grande variedade de geleias feitas em casa. Cléo vendeu todo o estoque de empadas, Maísa teve a oportunidade de oferecer as peças que cria em crochê enquanto Mário apostou na venda de bijuterias para arcar com as despesas como aluguel e faculdade.

Além das barracas padronizadas e da adoção de medidas de higiene e de distanciamento social, todos os expositores usaram camisetas do projeto. “Gostei muito. Tivemos um bom movimento e as pessoas realmente demonstraram interesse em comprar”, resumiu Daniel, um dos artesãos selecionados.

Serviço:
Paróquia Sagrados Coração de Jesus e Nossa Senhora das Mercês
Endereço: Via L2 Sul Quadra 615 - Asa Sul
Brasilia, Distrito Federal 70200-750
Telefone: (55)(61)3346-4155
Email: contato@sagradomerces.com.br
Site: http://www.sagradomerces.com.br

Horários das Missas: 
Domingo: 08:00, 10:00, 17:00, 19:00
Segunda-feira: 07:00, 19:00
Terça-feira: 07:00, 19:00
Quarta-feira: 07:00, 19:00
Quinta-feira: 07:00, 19:00
Sexta-feira: 07:00, 19:00
1ª Sexta-feira do mês: 15:00
Sábado: 07:00, 17:00, 19:00

Confissões: Segunda-feira à Sábado: 18:15.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem