Professor Marco Antônio Del’Isola morre aos 66 anos

Morreu em decorrência de um câncer generalizado, na manhã deste domingo (6/3), o educador e ex-diretor dos colégios Marista de Brasília e Mackenzie, Marco Antônio Almeida Del'Isola, que contribuiu para a formação de gerações de estudantes no Distrito Federal, como professor e como diretor. Marco Antônio Del’Isola também era o vice-presidente do Conselho de Educação do DF


Em nota, o diretor do Colégio Marista de Brasília Asa Sul, Luiz Ricardo Timm, lamentou a morte de Marco Antônio. “É com extremo pesar que comunico o falecimento do grande educador Marco Antônio Almeida Del'Isola”, declarou.

No texto, o atual diretor da instituição comenta que teve o prazer de ter Marco Antônio como professor e diretor, sendo o responsável pelo retorno dele ao Marista como profissional de educação.

“Sem dúvida, Marco Antônio deixará uma grande saudade em nossos corações”, emociona-se. Por fim, Luiz Ricardo deseja “que familiares, amigos e colegas sejam confortados por Deus e pela Boa Mãe neste momento”, conclui.

“Recebi a notícia com enorme tristeza. Ele cumpriu sua missão no Conselho de Educação pautado pelo comprometimento com o Sistema de Ensino do DF e, acima de tudo, com os estudantes das redes pública e privada. Neste momento, meus sentimentos à família, aos amigos e aos colegas” - Hélvia Paranaguá, secretária de Educação do DF.

Luto na memória
O jornalista Marcelo Abreu publicou um texto emocionado sobre a partida do educador Marco Antônio. Ele relembrou o crime bárbaro de que a família foi vítima.

Em 9 de dezembro de 2004, o caseiro e a empregada da casa da família Del'Isola à época torturaram, estupraram e enterraram a filha do casal, Maria Cláudia Del'Isolla, aos 19 anos, no jardim de inverno da casa da família, no Lago Sul.

"Por muitos anos, eu acompanhei essa história que chocou Brasília e o país. Uma tragédia pensada, arquitetada e consumada por dois psicopatas. Sim, eles existem. Estão sempre por perto. Alguns chegam ao poder", escreveu.

Marcelo destaca que respeitou o silêncio e a dor daquela família. "A hora certa chegou. Depois da missa do sétimo dia, a família me recebeu", conta Marcelo. "Foi, finalmente, ao encontro da sua Tatinha", conclui o ex-jornalista.

Após o choque com a morte da filha, Marco Antônio desenvolveu uma doença degenerativa, e estava em cadeira de rodas.
O professor e vice-presidente do Conselho de Educação do Distrito Federal (CEDF), Marco Antônio Del’Isola, morreu na manhã deste domingo (6), aos 66 anos, em decorrência de complicações de um câncer no fígado.

O docente, que faria 67 anos no dia 19 de março, também foi professor e diretor do Colégio Marista de Brasília. Além disso, Del’Isola atuou como Presidente do CEDF de novembro de 2017 a novembro de 2021. Em dezembro, em nova eleição, foi escolhido para assumir a vice-presidência do órgão.

Para a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, a morte de Marco Antônio é uma grande perda para a educação. “Recebi a notícia com enorme tristeza. Ele cumpriu sua missão no Conselho de Educação pautado pelo comprometimento com o Sistema de Ensino do DF e, acima de tudo, com os estudantes das redes pública e privada. Neste momento, meus sentimentos à família, aos amigos e aos colegas”, lamentou.

Em nota de pesar, o CEDF também se pronunciou sobre o falecimento do professor: “É com profundo pesar que informamos sobre o falecimento do professor Marco Antônio Del’Isola, Vice-presidente do CEDF. Lamentamos a perda e nos solidarizamos pela família e amigos neste momento de profunda tristeza.”

Velório
O corpo de Marco Antônio Del’Isola será velado nesta segunda-feira (7), das 8h30 às 10h30, na capela 6 do Cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul. O sepultamento está marcado para as 11h.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem