Projeto Social de Paróquia na Asa Sul será homenageado pela Câmara Legislativa, nesta sexta-feira (29)

Programa Coração Aberto usa o empreendedorismo como forma de superação da pobreza

Foto: Facebook.

A percepção de que o número de pessoas em situação de vulnerabilidade social amentou em função da pandemia de covid-19 fez com que a Paróquia Nossa Senhora das Mercês e Sagrado Coração de Jesus criasse, em abril de 2021, o projeto Coração Aberto. A iniciativa - que tem o propósito de fazer um atendimento social diferenciado, inserindo pessoas na geração de renda por meio do empreendedorismo e na distribuição de alimentos, e que atualmente tem mais de mil pessoas cadastradas - será homenageada em uma sessão solene, nesta sexta-feira (29) na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF).

O evento marcado para as 10 horas é um reconhecimento do trabalho que atende moradores de diversas regiões administrativas e que tem como um dos pilares oferecer condições para que essas pessoas possam retomar o controle das próprias vidas, seja por meio do empreendedorismo ou da formação profissional. Além do idealizador da iniciativa, o pároco da Igreja, frei Rogério Soares, a solenidade terá a presença de pessoas atendidas e de voluntários dos projetos. “Essa homenagem muito nos honra, pois é o reconhecimento de um trabalho social arrojado e empreendedor, que tira pessoas da miséria, por meio de seus próprios dons. Estou feliz com a honraria dada pela Câmara Legislativa do DF”, enfatiza, Frei Rogério Soares , idealizador do Programa.

O programa Coração Aberto funciona em um espaço montado na área externa da paróquia, que fica na quadra 615 da Asa Sul. De segunda a sexta-feira, voluntários recebem e escutam os relatos de quem precisa de apoio seja para conseguir um documento, solicitar acesso a benefícios públicos, como auxílios temporários ou que estejam em busca de trabalho. Os custos do projeto são cobertos por recursos da própria Paróquia. Além das doações regulares da comunidade, o dinheiro vem de outros três projetos sociais da igreja: o Petas do Frei, a Feirinha do Frei e o Sagrado Art’Brechó.

Outro pilar do projeto Coração Aberto são as parcerias estabelecidas com órgãos que atuam na assistência e desenvolvimento social no Distrito Federal, com as pastas das áreas de saúde, trabalho e renda, justiça e cidadania. Também integram a rede organizações da sociedade civil como comunidades terapêuticas – acionadas em casos como nos quais se verifica a dependência química – além de asilos, casas de acolhimento e a própria igreja.

Feirinha do frei – Lançada em setembro de 2021, a iniciativa reúne profissionais de diversas áreas como gastronomia, jardinagem, moda e decoração, entre outros possam expor e vender seus trabalhos em feiras realizadas tanto na área externa da paróquia como em outros locais. Atualmente, cerca de 50 empreendedores estão cadastrados no projeto, que também oferece cursos e capacitação profissional continuada. Desde o lançamento já foram realizadas 19 edições da feirinha, sendo 15 na própria igreja e outras cinco em locais externos como a Granja do Torto e Feira do Cruzeiro.

Nesta semana, os expositores participam de uma edição especial da feira na área externa da Câmara Legislativa. Cerca de 30 profissionais se revesam no espaço oferecendo produtos de qualidade ao público, além de ampliar a divulgação da iniciativa.

Petas do Frei -Outra iniciativa social da Paróquia Sagrado Mercês que faz parte do Programa Coração Aberto, o Petas do Frei existe desde agosto de 2020 e atualmente garante renda a dezenas de famílias. A lógica é simples: uma vez cadastrada no projeto, a pessoa retira de forma consignada pacotes de biscoito de polvilho que vende em locais diversos da cidade. Como parte dos custos é subsidiada pela Igreja, o vendedor fica com o restante do valor arrecadado.

Seguindo a lógica dos projetos sociais da Paróquia, os participantes recebem formação profissional regular com cursos sobre educação financeira, por exemplo, além de serem orientados a se regularizarem como microempreendedores individuais (MEIs). Uma delas é Maria do Socorro Lima, a primeira vendedora do projeto. “Foi uma luz quando fiquei desempregada durante a pandemia. Acreditei no produto e saí para vender”, resume lembrando que é com os recursos que recebe pelas vendas dos biscoitos que tem arcado com as contas de casa.

Ao falar das iniciativas sociais implementadas pela Paróquia, frei Rogério faz questão de lembrar o propósito maior que é o assegurar que as pessoas atendidas possam retomar a autonomia da própria vida. Conforme lembra, “as ajudas oferecidas a quem está em situação de vulnerabilidade social não devem funcionar como uma falsa segurança, que faça a pessoa permanecer por tempo indefinido nessa condição”.
Rosângela Chimiti

"Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida." (Bob Marley)

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem