Os desafios da “geração lockdown”

 


Oportunidades são essenciais para suavizar os impactos da pandemia na trajetória profissional dos jovens

A redução de vagas no mercado de trabalho e de atividades informais, bem como a interrupção ou o abandono dos estudos e a perda de emprego e de renda é a dura realidade enfrentada por esta geração de jovens, afetada drasticamente pela pandemia da Covid-19. Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), há o risco de que essa juventude fique marcada como a “geração lockdown”.

 

Diante das mudanças nos padrões do mercado, são inúmeras as dificuldades para encontrar trabalho. E, para as famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade social, principalmente aquelas que dependem do apoio financeiro dos filhos, o desafio torna-se ainda maior.

 

Aliás, a Legião da Boa Vontade (LBV) qualifica o jovem trabalhador de baixa renda por meio de formação inicial profissional aliada ao emprego formal na modalidade “aprendiz”, unindo experiência prática à capacitação teórica. Por meio do programa Aprendiz da Boa Vontade, a Entidade prepara o jovem como cidadão consciente e potencializa suas chances de inserção e de crescimento no campo profissional de sua escolha. Além disso, a permanência do aprendiz na escola é obrigatória, o que previne a evasão escolar e ainda o estimula a dar continuidade aos estudos técnico e superior, abrindo caminho para contribuições significativas para o bem-estar social.

 

A partir da capacitação e da conexão com o mundo corporativo, os jovens podem tanto desenvolver suas habilidades quanto contribuir para a economia de suas famílias, como fizeram as irmãs Mirelly e Fernanda Andrade, respectivamente de 16 e 17 anos e moradoras do Paranoá Parque, em Brasília/DF, que ingressaram em outubro de 2021 no programa da LBV e com o salário passaram a ajudar no sustento do lar, que enfrentava desafios. Além das meninas, a mãe delas, Kátia de Souza Andrade, 50 anos, cria sozinha mais seis filhos. A única renda da família era proveniente da genitora, que, afastada do serviço por motivo de doença, teve o benefício que recebia do governo suspenso.

 

“A nossa vida começou a andar. Deu um alívio grande, porque, se não fosse pelas minhas filhas, eu não sei o que seria aqui em casa”, conta a mãe, emocionada e orgulhosa das jovens. “É o meu primeiro emprego no currículo, e está sendo surpreendente”, diz Fernanda empolgada com sua experiência profissional na área administrativa de um colégio.

 

Há vagas disponíveis para o público prioritário da Assistência Social. Os interessados podem enviar currículo para o seguinte e-mail: pabvbsb@lbv.org.br. O Centro Comunitário de Assistência Social da LBV fica na

Quadra 915 sul, lote 74 - Asa Sul – tel: (61) 3410-6015.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem