BRB

Gabinete de Transição instala Conselho de Participação Social

O conselho promoverá o diálogo com as organizações da sociedade civil e com a representação de movimentos sindicais e populares durante a transição


Foto: Magno Romero.

A Coordenadora de Articulação Política do Gabinete de Transição, Gleisi Hoffmann, instalou na segunda-feira (28/11) o Conselho de Participação Social. O conselho tem por objetivo promover o diálogo e a interlocução com as organizações da sociedade civil e com a representação de movimentos sindicais e populares no período de transição.

O conselho também promove o diálogo com os grupos técnicos no que tange à participação social e produzirá subsídios para elaboração de relatório final de transição sobre a relação institucional do governo com a sociedade civil.

O atual governo interrompeu um processo gradativo de reconhecimento da participação social como elemento estratégico da atuação do Estado brasileiro em sua relação com a sociedade. Vimos os conselhos nacionais serem descaracterizados e extintos e as conferências de políticas públicas – que reuniram milhões de pessoas no período Lula e Dilma – serem descontinuadas. Bolsonaro apenas falou com os setores da sociedade que concordavam com ele, sobretudo no mundo empresarial e religioso.

Sensível à necessidade da retomada de um governo democrático e popular, o presidente Lula tratou da participação e do diálogo com a sociedade em diversas ocasiões de sua vitoriosa campanha eleitoral: um orçamento participativo nacional em contraposição ao “orçamento secreto”; a retomada das conferências nacionais de políticas públicas, a maior marca de participação social de seu governo; a construção de um governo amplo, de diálogo com toda a sociedade brasileira.

O Conselho conta com uma Coordenação Executiva, responsável pela condução dos trabalhos e uma plenária representativa dos mais diversos segmentos de organização da sociedade civil e dos movimentos sindicais e populares.

Confira a lista dos integrantes da Coordenação Executiva do Conselho de Participação Social:
  1. Edson Carneiro da Silva, diretor da Intersindical Central da Classe Trabalhadora, representante do Fórum das Centrais Sindicais.
  2. Josué Augusto do Amaral Rocha, dirigente do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto – MTST
  3. Julia Barbosa de Aguiar Garcia, vice-presidenta da União Nacional dos Estudantes – UNE, representante dos movimentos de juventude.
  4. Kelli Cristine de Oliveira Mafort, dirigente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), representante do campo unitários das organizações do meio rural
  5. Raimundo Vieira Bonfim, coordenador da Central de Movimentos Populares – CMP
  6. Ronald Ferreira dos Santos, diretor da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB, representante do Fórum das Centrais Sindicais
  7. Simone Ferreira Nascimento, dirigente do Movimento Negro Unificado – MNU, representantes dos movimentos sociais de negros e negras.
  8. Ticiana Studart Albuquerque, dirigente da Marcha Mundial das Mulheres, representante dos movimentos de mulheres.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Bio Caldo - Quit Alimentos