Caso Dior: o impacto da Governança na sucessão empresarial

 

Sucessão familiar no maior grupo de luxo do mundo impactou o mercado financeiro e deixa lições de governança

Nos últimos meses, movimentos que sinalizam para um processo de sucessão familiar no grupo LVMH, um dos maiores grupos de marcas de luxo do mundo, mexeu com o mercado financeiro. Mas, em casos de sucessão em qualquer empresa, o impacto pode ser diferente. Uma política de governança forte e com planejamento estruturado é fundamental para que os processos de transição sejam harmoniosos e a sucessão impacte minimamente no valor de mercado da empresa e a mesma permaneça em rota de crescimento.

Recentemente, o grupo de luxo Dior anunciou o início do processo de sucessão do conglomerado LVMH. O filho mais velho do presidente Bernard Arnault, Antoine Arnault, foi nomeado presidente-executivo da Christian Dior. A Christian Dior está listada na bolsa de valores, é a empresa que detém a maioria da participação da família Arnault na LVMH, o maior grupo de luxo do mundo. Todos os filhos do executivo já ocupam altos cargos na LVMH. O grupo está por trás das casas de moda Louis Vuitton, Christian Dior e também de dezenas de outras marcas que variam de champanhe a hotéis cinco estrelas. A nomeação de Arnault segue uma mudança recente na estrutura legal do investimento da família para garantir o controle de longo prazo da LVMH, com a holding Agache, que tem ações da Christian Dior, tornando-se uma sociedade por ações. A marca foi incorporada ao grupo LVMH em 2017 e agora detém 41% da LVMH, correspondendo a 56% dos direitos de voto no grupo. Bernard Arnault e sua família conquistaram brevemente o título de mais ricos do mundo em 2022, mas voltaram ao segundo lugar, atrás de Elon Musk, com uma fortuna pessoal de 185,3 bilhões de dólares, segundo a Forbes.

Planejamento e política de governança

O CEO da GoNext, Eduardo Valério, afirma que uma política de governança sólida aliada ao planejamento estratégico para os processos de sucessão empresarial são a melhor fórmula para quem quer fugir dos impactos financeiros que esses períodos acarretam em empresas de todos os portes: “Quando a gente fala de sucessão empresarial é importante levar em consideração as diversas variantes que fazem parte do próprio negócio, mas de forma geral as empresas que têm uma política consolidada de governança e que desenharam o processo de sucessão com detalhamento e estratégia são as empresas que acabam gerando impactos financeiros positivos e crescem ainda mais rapidamente após a sucessão”, diz Valério.

A política de governança passa pela formação de Conselhos Administrativos e Consultivos colegiados e são os Conselhos os principais responsáveis pela credibilidade das empresas independentemente do tamanho delas. Os conselhos mostram para o mercado que a empresa adota boas práticas de Governança. “Por isso é fundamenta formar conselhos com representantes especialistas escolhidos de forma meritocrática para que o crescimento do negócio aconteça independente das mudanças internas estruturais”, conclui Valério.  

Sobre a GoNext Governança & Sucessão: consultoria especializada na implantação do sistema de governança corporativa e sucessão em empresas familiares. Fundada em 2010, atua com metodologia exclusiva para a profissionalização, elaborada a partir da experiência adquirida em aproximadamente 200 projetos atendidos no Brasil e nos EUA. A equipe de consultores desenvolve planejamento personalizado, de forma integrada aos objetivos e necessidades de cada cliente. A GoNext foi fundada pelo CEO Eduardo José Valério, com mais de 25 anos de experiência como executivo, tendo atuado como C-Level de grandes companhias brasileiras. https://gonext.com.br/ 


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper
Sesc
Bio Caldo - Quit Alimentos