As férias acabaram e você ainda se sente cansado? Saiba o que fazer

 


O esgotamento mental pode exigir mais do que alguns dias de descanso no fim do ano. Especialistas dão dicas de como manter a saúde mental e encontrar disposição para o trabalho e o estudo

 

Nem todo mundo consegue descansar o necessário nas férias para recuperar a energia e a disposição. Dependendo do grau de cansaço, estresse ou estafa, o recesso de fim de ano não é suficiente no resgate da saúde emocional. A fadiga crônica, por exemplo, requer bem mais do que alguns dias de descanso e exige mudança de hábitos.

Desde o início da pandemia, mais da metade dos brasileiros vem relatando piora na saúde mental e no bem-estar. Para quem apostou todas as fichas nas férias de verão, a sensação pode ser frustrante. A boa notícia é que não são necessários grandes investimentos para aliviar o estresse e encarar 2023 com mais ânimo. O psicólogo do Grupo Hapvida NotreDame Intermédica, Felipe Brito, explica o que as pessoas devem fazer para manter a mente saudável.

“Antes de qualquer coisa, é preciso ser flexível e estar aberto a novas oportunidades e perspectivas de superar o estresse, o cansaço e a rotina. Uma das formas de manter a saúde mental é a flexibilidade. O hobby, por exemplo, pode ser uma ótima válvula de escape para contornar a monotonia e reativar o prazer nas coisas simples da vida”, avalia o especialista.

Para o psicólogo, não é necessário fazer viagens longas ou requintadas durante as férias para se sentir relaxado. Pelo contrário, a alta procura por destinos turísticos durante as férias de dezembro e janeiro, geralmente são conturbados, congestionados e concorridos, o que pode aumentar o estresse e tornar as férias dos sonhos em pesadelo. “Quem cria grandes expectativas pode se decepcionar. A dica é aproveitar qualquer tempo livre durante o ano para higienizar a mente e manter o equilíbrio emocional na rotina diária. Isso vai garantir prazer na hora de curtir as férias, independente de viajar ou ficar em casa com a família e amigos”, avalia.

Atividades intelectuais como ir ao teatro, cinema, ler um livro, escrever uma poesia ou fazer meditação, não são as únicas a contribuir com a saúde mental. A lista de prazeres que aliviam o estresse e mantêm o ânimo envolve qualquer atividade feita por vontade e inspiração próprias. “Qualquer coisa que faça a pessoa se sentir bem, tranquila e feliz são fundamentais para manter a saúde mental. Atividades como cozinhar, fazer artesanato, pintar, cuidar do jardim e brincar com animais ou contemplar a natureza”.

Tudo isso trata-se de uma seleção natural de cada indivíduo, o que importa é construir situações de prazer, independente da atividade. Cada um gosta de uma coisa e isso é fundamental para garantir a estabilidade emocional e afastar o estresse.

“Portanto, não importa se o indivíduo está saindo ou voltando de férias. O segredo da vida é não produzir expectativas extremas acerca de determinadas situações. O bom mesmo, é manter a mente limpa, leve e tranquila. Isso ajuda na readaptação ou retomada da rotina de trabalho, de estudo ou de convívio social”, finaliza o especialista.

 

“A forma como lidamos com o hobby diz muito sobre nós”, afirma psicólogo

O médico psicólogo do Grupo Hapvida NotreDame Intermédica, Dr. Felipe Brito afirma que a forma como as pessoas lidam com o hobby diz muito sobre sua vida e personalidade. “A academia, por exemplo, promove saúde e bem-estar, mas à medida que passa a ser prioridade, deixa de ser hobby e se torna dependência, porque geralmente as pessoas deixam de ter convívio social e familiar para cumprir uma rotina introspectiva. Então a recomendação é manter o hobby como um momento de leveza e prazer, não repressiva”, analisa Felipe.

“Não há dúvidas de que manter um hobby contribui para a saúde mental, desde que as pessoas não levem os hobbies tão a sério quanto outras atividades rotineiras. Os hobbies são excelentes aliados para o equilíbrio emocional, mas, para surtir efeito, devem ser uma prioridade para si mesmo, para se sentir bem, não para os outros”, sugere.

De acordo com a psicóloga, o hobby é algo que as pessoas realmente gostam de fazer, sentem motivação e prazer. “O trabalho e o estudo são compromissos obrigatórios. Já o hobby satisfaz nossos desejos e vontades pessoais e, por isso, se torna prazeroso e terapêutico”.

 

Dicas para tornar o ano “mais leve”

 

Não é necessário ter longas férias para relaxar. Algumas atitudes simples adotadas ao longo do ano ajudam a reduzir o estresse e tornar a rotina mais prazerosa:

1.      Não romantize a sobrecarga de trabalho. Nos finais de semana e feriados, descanse;

2.      Faça atividades gratificantes: passeie ao ar livre, leia um livro, maratone uma série, passeie ao ar livre;

3.      Abra mão de controlar tudo. Defina prioridades e responsabilidades. Não queira organizar ou administrar tudo ao mesmo tempo. Aprenda a dizer não e respeite seu tempo;

4.      Lembre-se que as redes sociais raramente traduzem a realidade. Ninguém tem uma vida perfeita, sem limitações ou frustrações. Ainda que as pessoas só postem bons momentos, não se compare nem se iluda;

5.      A melhor maneira de superar a exaustão mental é descansando, saindo da rotina e tendo uma atitude diferente em relação às obrigações diárias;

6.      Inspire-se em pessoas que conseguiram superar as adversidades com um olhar positivo para a vida;

7.      Priorize a qualidade do sono. Adote estratégias de relaxamento antes de dormir;

8.      Estimule seu cérebro positivamente e não sofra por questões que estão fora do seu alcance;

9.      O tempo necessário para o relaxamento completo depende do quão cansado você está, do seu tipo de trabalho, da sua personalidade e das dificuldades vivenciadas no dia a dia. Aproveite cada minuto de folga para se desconectar da rotina;https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif

10.  Se o esgotamento mental persistir, não deixe que ele se transforme em uma patologia como depressão ou síndrome do pânico. Se perceber fadiga excessiva, distúrbios do sono, irritabilidade, baixa concentração ou falta de motivação, procure ajuda especializada.

Paulo Melo

Sinceramente, não sei lá bem quem sou! Um fogo-fátuo, uma miragem... Sou um reflexo...um canto de paisagem. Ou apenas cenário! Um vaivém. Com sorte: hoje aqui, depois além! Sou a roupagem de um doido que partiu numa romagem e nunca mais voltou! Às vezes acho que sou um verme que um dia quis ser astro... Uma estátua truncada de alabastro... Uma chaga sangrenta do Senhor... Sei lá quem sou! Só sei que estou cumprindo os fados num mundo de maldades e pecados. Sou mais um mau, sou apenas mais um pecador... Mas não sei que sempre precisei de um pouco de atenção. Acho que não sei quem sou, só sei do que não gosto!!! Vivo a minha maneira! Ao invés de procurar respostas, ocupo meu tempo fazendo o que tenho vontade e vivendo a vida com o há de melhor.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper
Sesc
Bio Caldo - Quit Alimentos