ANATI reúne mais de 200 pessoas em evento sobre protagonismo da mulher na gestão de TI no Governo Federal

 

O encontro aconteceu na manhã do dia 18/04 e contou com a presença das ministras da Mulher e da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos e da presidenta da ENAP.

A ascensão e o protagonismo da mulher em cargos de chefia no governo está cada dia mais forte e em constante crescimento. Demonstrando competência e qualificação profissional, elas ocupam cargos de liderança e provam que lugar de mulher é onde ela quiser.

E hoje, realmente estavam onde queriam e falaram o que pensam sobre os avanços e desafios em ser mulher em um cenário profissional, predominantemente masculino, ainda mais se tratando de tecnologia da informação.

A abertura do evento se deu com a fala da diretora da Secretaria do Governo Digital, Eleidimar Odília Isaque da Silva que enfatizou a relevância do evento como agente de reflexão sobre a atuação feminina frente aos desafios de TI e encorajou as presentes a não se intimidar com cargos de chefia “Estejam preparadas para mostrar o potencial feminino. Somos capazes de equilibrar nossos diversos mundos e contribuir com uma boa entrega do serviço público”.

Em continuidade ao evento, a presidenta da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) Betânia Lemos disse que o momento atual é de equalização do papel entre homens e mulheres e que a ENAP quer participar ativamente desse processo “A ENAP quer contribuir para a formação feminina e construção de políticas equalitárias. Por isso temos investido tanto nas mulheres”.

A ministra da Mulher, Aparecida Gonçalves, trouxe à mesa a questão da misoginia. “Grande parte do ódio contra a mulher acontece nas redes sociais. 35 milhões de pessoas seguem perfis de movimentos machistas. O papel da mulher é estratégico nessa esfera. Queremos respeito!”, finaliza ela.

Para a ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, as mulheres merecem estar onde estão e ocupar, ainda mais, espaços estratégicos. Ela enfatizou a importância do cargo de Analista da Tecnologia da Informação e deu uma prévia de um possível concurso público para a área de TI, a fim de aumentar a diversidade no setor público.  “Queremos aumentar a atratividade do serviço público, incluindo a TI”.

No segundo bloco, a servidora pública federal e Analista em Tecnologia da informação Daniela Baldez, falou sobre a liderança feminina e suas contribuições na Transformação digital. Após ela, a gerente de governança, projetos e aquisições de TIC na subsecretaria de tecnologia da informação do MEC, Isabelle França trouxe o debate sobre os vieses inconscientes da liderança feminina e Márcia Rizzo, psicóloga, sexóloga, engenheira e fundadora da Árya Saúde, deu nomes à termos e ações machistas, frequentemente utilizados no mercado de trabalho.

Por fim, a empreendedora e advogada Camila Rioja, que brilhantemente realizou uma síntese das apresentações, mediou as perguntas e os comentários dos participantes que puderam tirar suas dúvidas e contribuir ainda mais com a temática de diversidade e inclusão no contexto da TI do Governo Federal.

Para acessar ao evento completo, acesse: https://www.youtube.com/live/cLc3nqPc6Cg?feature=share

 

 


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper
Sesc
Bio Caldo - Quit Alimentos