Opinião: IA traz avanços à educação, mas não substitui o professor

Roberto Leal*


Nos últimos anos, a tecnologia tem tido um desenvolvimento significativo, e uma das mais impactantes é a Inteligência Artificial (IA), que está emergindo de forma transformadora. Sua aplicação no campo da educação tem sido analisada dentro e fora de sala de aula, gerando especulações sobre o futuro do trabalho e como essas tecnologias podem afetar diversas profissões. Uma área que desperta interesse é a educação: os professores podem se beneficiar do crescimento das IAs?

As IAs podem fornecer recursos educacionais personalizados, adaptando o conteúdo às necessidades e ao ritmo de aprendizagem de cada aluno. Nós, professores, podemos nos beneficiar ao contar com assistentes virtuais ou plataformas de ensino inteligentes, que auxiliam na identificação de lacunas no conhecimento dos estudantes, sugerem atividades adequadas e fornecem feedback individualizado. Isso nos permite direcionar nosso tempo e esforços para outras áreas, como o apoio emocional e o desenvolvimento de habilidades sociais.

As IAs podem automatizar certas tarefas administrativas repetitivas, como correção de provas, monitoramento de presença e organização de notas. Ao liberar o professor dessas atividades, podemos dedicar mais tempo ao planejamento de aulas, à criação de materiais educacionais inovadores e ao aperfeiçoamento profissional contínuo.

Com as IAs, é possível disponibilizar conteúdos educacionais de alta qualidade para um público mais amplo. Plataformas de ensino on-line, tutoriais interativos e assistentes virtuais podem ajudar estudantes que têm dificuldade de acesso à educação tradicional, como aqueles em áreas remotas ou com limitações físicas. Nós podemos nos envolver nesses recursos e alcançar um número maior de alunos, expandindo o impacto educacional.

Embora as IAs tenham o potencial de oferecer suporte valioso, é essencial reconhecer que o professor desempenha um papel fundamental na educação. A interação humana, o estímulo criativo, o desenvolvimento de habilidades sociais e o apoio emocional são aspectos que não podem ser substituídos por tecnologia. Portanto, é necessário um equilíbrio adequado entre o uso das IAs e a presença ativa do docente. 

Contudo, para aproveitar ao máximo as IAs, precisaremos nos capacitar e nos adaptar às novas tecnologias. A formação contínua será essencial para que entendamos como integrar as IAs em nosso processo de ensino, como interpretar os dados fornecidos pelas tecnologias e como trabalhar em colaboração com essas ferramentas.

Em um mundo cada vez mais impulsionado pela tecnologia, é importante considerar como as IAs podem contribuir para a educação. Certamente, podemos nos beneficiar do crescimento das IAs ao recebermos apoio na personalização do ensino, na eficiência administrativa e na ampliação do acesso ao conhecimento. No entanto, é crucial lembrar que o professor continua sendo uma figura insubstituível, responsável por proporcionar uma experiência educacional significativa e holística. À medida que a tecnologia evolui, é fundamental que tenhamos a certeza da necessidade de nos capacitar e  adaptar, encontrando um equilíbrio entre o uso das IAs e a interação humana, para promover uma educação de qualidade e preparar os alunos para os desafios do futuro.

*Roberto Leal, especialista em Supervisão e Orientação Escolar e em Metodologia do Ensino de Língua Inglesa, é professor de Língua Inglesa do Colégio Semeador.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper
Sesc
Bio Caldo - Quit Alimentos