BRB

50 petroleiras se comprometem a zerar emissões de carbono até 2050

01.12.2023 - Sessão de abertura da Presidência da 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP28) - Expo City Dubai - Emirados Árabes Unidos - Foto: Ricardo Stuckert/PR
01.12.2023 - Sessão de abertura da Presidência da 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP28) - Expo City Dubai - Emirados Árabes Unidos - Foto: Ricardo Stuckert/PR

Durante a COP28, estatais, incluindo a Petrobras, majors e independentes também se comprometeram a praticamente zerar as emissões de metano até 2030


Neste sábado (2/12), 50 petroleiras, incluindo a Petrobras, assinaram um compromisso para zerar as emissões de CO2 até 2050 durante a COP28, em Dubai, Emirados Árabes. A "Carta para a descarbonização do óleo e gás" (OGDC, na sigla em inglês) inclui ainda a promessa de acabar com a queima rotineira de gás e praticamente zerar as emissões de metano até 2030. 

As companhias representam 40% da produção mundial de petróleo. Veja a lista das empresas no fim da matéria. Segundo presidente da COP28, sultão Ahmed al-Jaber, que também é CEO da petroleira estatal Adnoc, 60% das signatárias são estatais, o maior número até hoje. 

As empresas concordam ainda em continuar trabalhando em direção às melhores práticas da indústria para a redução de emissões e em uma série de ações-chave, incluindo:

Investimento no sistema energético do futuro, incluindo energias renováveis, combustíveis de baixo carbono e tecnologias de emissões negativas.
Aumento da transparência, incluindo o aprimoramento da medição, monitoramento, relatório e verificação independente das emissões de gases de efeito estufa e seu desempenho e progresso na redução de emissões.

Aumento do alinhamento com as melhores práticas da indústria em geral para acelerar a descarbonização das operações e aspirar a implementar as melhores práticas atuais até 2030 para reduzir coletivamente a intensidade das emissões.

Redução da pobreza energética e fornecendo energia segura e acessível para apoiar o desenvolvimento de todas as economias.

"Estou comprometido tanto com a inclusão quanto com a transparência. Se queremos acelerar o progresso em toda a agenda climática, precisamos que todos sejam responsáveis pela ação climática. Todos nós devemos nos concentrar em reduzir as emissões e aplicar uma visão positiva e proativa para impulsionar a ação climática e fazer com que todos tomem medidas. Precisamos de um plano de ação claro, e estou determinado a fornecer um", disse Al Jaber.

Em comunicado, ele afirmou que a OGDC reconhece que a mudança climática é "um desafio coletivo que requer ações fortes e focadas tanto dos produtores quanto dos consumidores de energia, mudanças fundamentais em toda a sociedade e no setor de energia, bem como colaboração internacional, para avançar na transição energética e reduzir as emissões de gases de efeito estufa provenientes do petróleo e gás."

Veja a lista das empresas signatárias:

Petroleiras estatais (NOCs, em inglês): ADNOC, Bapco Energies, Ecopetrol, EGAS, Equinor, GOGC, INPEX Corporation, KazMunaiGas, Mari Petroleum, Namcor, National Oil Company of Libya, Nilepet, NNPC, OGDC, OMV, ONGC, Pakistan Petroleum Limited (PPL), Pertamina, Petoro, Petrobras, Petroleum Development Oman, Petronas, PTTEP, Saudi Aramco, SNOC, SOCAR, Sonangol, Uzbekneftegaz, ZhenHua Oil, YPF.

Petroleiras privadas (IOCs, em inglês): Azule Energy, BP, Cepsa, COSMO Energy, Crescent Petroleum, Dolphin Energy Limited, Energean Oil & Gas, Eni, EQT Corporation, Exxonmobil, ITOCHU, LUKOIL, Mitsui & Co, Oando plc, Occidental Petroleum, Puma Energy (Trafigura), Repsol, Shell, TotalEnergies, Woodside Energy Group.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Bio Caldo - Quit Alimentos