Programa Imuniza Goiás eleva taxa de vacinação em 236 cidades

Criado para identificar crianças com atraso vacinal, Programa Imuniza Goiás chega a 236 municípios contribuindo para a melhora dos índices de imunização (Foto: SES)
Criado para identificar crianças com atraso vacinal, Programa Imuniza Goiás chega a 236 municípios contribuindo para a melhora dos índices de imunização (Foto: SES)

Por Juliana Carnevalli via Secretaria da Saúde - Governo de Goiás

Criado para identificar crianças com atraso vacinal, Programa Imuniza Goiás chega a 236 municípios contribuindo para a melhora dos índices de imunização (Foto: SES)
O Imuniza Goiás, uma inovação da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), já alcançou 236 municípios goianos. Desenvolvido em dezembro de 2022, o programa tem como objetivo principal identificar e vacinar crianças de até 2 anos que ainda não foram imunizadas, elevando, assim, os índices de vacinação no estado.

IMPACTO POSITIVO DO IMUNIZA GOIÁS

"Essa iniciativa potencializa o trabalho nos municípios ao identificar crianças não vacinadas com detalhes, como número de telefone, nome da criança, nome da mãe e endereço, possibilitando uma abordagem direta e eficaz. Estamos empenhados em buscar mais crianças para serem vacinadas e, como resultado, conseguimos elevar significativamente as coberturas vacinais", explica a gerente de Imunização da SES, Joice Dorneles.

Para 2024, o programa visa expandir sua abrangência para todas as faixas etárias, além de integrar os 10 municípios remanescentes à iniciativa.

ESTRATÉGIAS PARA MELHORAR AS COBERTURAS VACINAIS

Além do Programa Imuniza Goiás, o Estado adota uma série de estratégias para reverter o cenário das baixas coberturas vacinais, identificado não só em Goiás, mas em todo o país.

Em 2023, lançou o Vacina Mais, Goiás, parte do Plano Estadual de Recuperação das Altas Coberturas Vacinais e alinhado ao Pacto Nacional pela Consciência Vacinal do CNMP.

Destaque também para a Campanha Estadual de Multivacinação, realizada em 2023, de 30/09 a 14/10, imunizando mais de 84 mil crianças e adolescentes com 17 vacinas diferentes.

A implementação da lei nº 22.243/2023, exigindo o Certificado de Vacinação para matrículas escolares, e as Atividades de Vacinação de Alta Qualidade (Avaq) do MS, com a capacitação de 1.591 profissionais de saúde, são outras medidas notáveis.

Essas ações resultaram em melhorias significativas nas coberturas vacinais. Por exemplo, a vacina tríplice viral aumentou de 80,8% para 83,75%, a poliomielite de 73,70% para 77,31%, e a Hepatite A de 69,30% para 74,31%. A gerente da SES lembra que, apesar da melhora, os índices ainda estão abaixo da meta preconizada pelo MS.

"A maioria das vacinas previstas no Calendário Nacional de Vacinação Infantil tem cobertura esperada de 95%. Iremos reforçar as estratégias já adotadas para tentar melhorar esse quadro. Mas é necessário também que as pessoas entendam a importância desses imunizantes para a proteção não apenas das crianças, como de toda a população. São vacinas seguras e que há anos protegem contra doenças imunopreviníveis", conclui.
Emerson Tormann

Técnico Industrial em Elétrica e Eletrônica com especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação. Editor chefe na Atualidade Política Comunicação e Marketing Digital Ltda. Jornalista e Diagramador - DRT 10580/DF. Sites: https://etormann.tk e https://atualidadepolitica.com.br

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem