BRB

Polícia Civil de Goiás combate comércio ilegal de pornografia infantil na web

Operação mobilizou mais de 70 policiais civis, com apoio da Core/GT3, e investiga uma associação criminosa que atuava em grupos da internet para vender conteúdo de pornografia infantil (Foto:PC)

Operação Cameroceras: Suspeitos investigados por vender pornografia infantil na web são presos


Por Kattia Barreto - Agência Cora Coralina

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos, deflagrou, nesta terça-feira (20), a Operação Cameroceras. Foram cumpridos 16 mandados judiciais em Goiânia, Aparecida de Goiânia, Trindade, Inhumas, Senador Canedo, Anápolis, Mara Rosa, Uruaçu, Mozarlândia, Jataí e Mineiros.

A operação mobilizou mais de 70 policiais civis, com apoio da Core/GT3, e investiga uma associação criminosa que atuava em grupos da internet para vender conteúdo de pornografia infantil.

Pornografia infantil

Uma pessoa foi presa de forma preventiva, em Goiânia, investigada por vender os materiais pornográficos, e outras duas, em flagrante, por armazenarem, no momento da busca, vasto material de exploração sexual infantil.

As prisões em flagrante se deram nas cidades de Senador Canedo e Mara Rosa. Vários dispositivos eletrônicos foram apreendidos para serem submetidos à perícia. A investigação começou em meio cibernético após troca de informações com a Delegacia de Polícia de Goianira – 16ª DRP.

Os presos em flagrante delito foram encaminhados ao cárcere e serão submetidos à audiência de custódia, tendo em vista a recente alteração prevista na Lei 14.811/24, que considerou o crime do art. 241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente (armazenamento de conteúdo de exploração sexual de criança e adolescente) crime hediondo, não cabendo fiança.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper
Sesc
Bio Caldo - Quit Alimentos