Curso capacita servidores em resolução consensual de conflitos

A Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) e a Faculdade do Centro de Mediadores capacitaram 245 defensores públicos e servidores | Fotos: Divulgação/DPDF

Iniciativa firmada desde 2022 lança novo edital com mais 20 bolsas nesta quinta- feira (21)


Por Igor Silveira - Agência Brasília

A Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) e a Faculdade do Centro de Mediadores capacitaram 245 defensores públicos e servidores, consolidando investimentos na resolução consensual de conflitos. A iniciativa, ofertada por meio do Programa de Interação Acadêmica da Escola de Assistência Jurídica (Easjur) da DPDF, foi firmada em 2022.

Ao todo, foram 25 bolsas para o curso de conciliação e mediação extrajudicial presencial, 180 para o de conciliação e mediação extrajudicial EaD e 20 vagas de pós-graduação em mediação de conflitos, com 800 horas de contrapartida de serviços prestados à população e desafogando o Poder Judiciário. Um novo edital com mais 20 bolsas de pós-graduação em mediação e conciliação será lançado nesta quinta- feira (21).

O defensor público-geral, Celestino Chupel, explica que investir na capacitação de defensores públicos e servidores na mediação e na conciliação é crucial para promover a resolução pacífica de conflitos. "É uma estratégia valiosa por diversos motivos, como a redução do congestionamento judicial; a economia de recursos, pois a mediação e a conciliação são mais rápidas do que o litígio tradicional; a promoção da participação ativa das partes envolvidas na busca de soluções; a preservação dos relacionamentos e a promoção da justiça restaurativa", pontuou.

Para o diretor da Easjur/DPDF, Evenin Ávila, o edital trará centenas de horas em contrapartida social, o que é fundamental para ofertar mais serviços à comunidade, além de possibilitar a capacitação dos defensores públicos e demais servidores na cultura de paz e na mediação. "A iniciativa inclui uma maior eficácia na resolução de disputas, uma redução do número de processos judiciais e uma melhoria na satisfação das partes envolvidas. Essa abordagem não só economiza recursos públicos, mas também fortalece a confiança na Justiça e promove uma cultura de resolução colaborativa de conflitos", justificou.

Idealizador e professor da Faculdade do Centro de Mediadores, Raul Pedro acredita que a parceria é fundamental para capacitar profissionais e fortalecer o sistema de resolução de conflitos. "A colaboração não só proporciona uma formação mais abrangente e prática, mas também gera uma rede mais ampla de mediadores e conciliadores qualificados, tornando os serviços de resolução de conflitos mais acessíveis e eficazes para a população", afirmou.
O defensor público-geral, Celestino Chupel, explica que investir na capacitação de defensores públicos e servidores na mediação e na conciliação é crucial para promover a resolução pacífica de conflitos


O chefe do setor administrativo do Núcleo de Assistência Jurídica do Paranoá, Carlos Wagner Silva Sobrinho, está participando da pós-graduação na área. Ele conta que o curso contribui não apenas para a formação profissional, mas também para o desenvolvimento social e pessoal. "O curso oferta conhecimentos teóricos e práticos em técnicas de mediação, conciliação e resolução de disputas, preparando os participantes para exercer funções como mediadores ou conciliadores em uma variedade de contextos. A iniciativa qualifica os servidores com o intuito de prestar serviços de excelência aos cidadãos", afirmou.

A analista em políticas públicas e gestão governamental Marina de Araújo Oliveira foi contemplada com uma bolsa de pós-graduação em conciliação e mediação de conflitos em 2022. Ela destaca que o curso apresenta um corpo docente altamente qualificado e que o material oferece recursos teóricos aliados a casos simulados que permite a aplicação prática das ferramentas durante as sessões de mediação.

"A pós-graduação se diferencia por proporcionar uma formação multidisciplinar e humanizada, voltada para capacitação de mediadores com o intuito de promover uma escuta qualificada, acolher as questões com imparcialidade, comprometida com a compreensão das necessidades dos envolvidos e com o restabelecimento do diálogo. A parceria entre as instituições fortalece a responsabilidade com a capacitação voltada à prestação de serviço público de qualidade e se traduz em instrumento efetivo para incentivar a solução consensual dos conflitos e promover a pacificação social", afirmou a servidora, lotada na Subsecretaria de Mediação e Cultura de Paz da DPDF.

*Com informações da Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF)

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper
Sesc
Bio Caldo - Quit Alimentos