Goiás Social quer ampliar ensino técnico e profissionalizante

Gracinha Caiado busca apoio para ampliar a oferta de vagas em cursos técnicos e profissionalizantes em Goiás (Foto: Rômullo Carvalho)

Por Juliana Carnevalli - Agência Cora Coralina

O Goiás Social articula parcerias para avançar na oferta de ensino técnico e profissionalizante aos jovens que cursam o ensino médio no estado. À frente das tratativas, a coordenadora do programa e primeira-dama, Gracinha Caiado, recebeu, nesta terça-feira (14/05), em Goiânia, representantes da Fundação Itaú e de entidades goianas.

"Já existe esse trabalho nas escolas estaduais, mas precisamos fazer mais. Esses jovens precisam de ter trabalho ao sair do ensino médio ou vamos ter uma geração sem capacitação", ponderou Gracinha. "Se a gente conseguir fazer o ensino técnico, assim que saírem da escola os alunos vão estar empregados", projetou.

Hoje, 9,9 mil alunos fazem cursos técnicos integrados ao ensino regular em 20 cidades goianas.

Ampliar ensino

A rede estadual de educação está apta para avançar nesse quesito, conforme avaliou a superintendente do Itaú Educação e Trabalho, Ana Inoue.

"Os dados de aprendizagem profissional que temos de Goiás e o Ideb do estado mostram a possibilidade de um salto", destacou ao expor o cenário favorável. "Goiás está melhor do que o Brasil em termos de ocupação da população geral e dos jovens", citou.

"Ano que vem vamos colocar 12 mil alunos no sistema S", declarou a titular da Secretaria de Educação, Fátima Gavioli. Além da pasta, as Secretarias da Retomada e de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) estão mobilizadas em torno do diálogo com a fundação, iniciado em fevereiro deste ano para a oferta de cursos que estejam conectados ao setor produtivo local e as necessidades do mercado de trabalho.

Outra novidade será o lançamento de um novo curso técnico nas Escolas do Futuro de Goiás: Ciência de Dados. Com ele, os estudantes passarão por letramento digital em Gestão de Dados, Big Data e Análise de Dados.

Em parceria entre Secti e Seduc, o governo estadual já oferece o curso técnico de Desenvolvimento Web e Cibersegurança a mais de 2 mil alunos da rede pública estadual.

"Isso faz parte do Goiás Social, porque o governo entende que esta é uma política de mobilidade social, ou seja, que é capaz de tirar os goianos da pobreza", afirma o titular da Secti, José Frederico Lyra Netto.

Representantes de entidades de classe também manifestaram apoio ao projeto. "Temos condição de ajudar. Nós fazemos aperfeiçoamento da educação desde os primeiros anos", afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel.

A reunião teve ainda a presença do diretor regional do Sesc e do Senac/Goiás, Leopoldo Veiga Jardim; e do superintendente do Senar Goiás, Dirceu Borges.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper
Sesc
Bio Caldo - Quit Alimentos