Notícias falsas: o outro lado da tragédia no Rio Grande do Sul

Desvendando os perigos das fake news em meio à tragédia das enchentes no Rio Grande do Sul
 

Por Oberdan Costa, criminalista

As enchentes avassaladoras no Rio Grande do Sul não apenas deixam um rastro de destruição, mas também são palco para a disseminação de informações falsas. A Polícia Federal abre investigações contra a propagação dessas fake news, em resposta a uma demanda do Ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, respaldada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência.

O governo estadual, a Polícia Civil e o Ministério Público também estão em ação, buscando responsabilizar os autores dessas notícias falsas. O especialista em direito penal, Oberdan Costa, alerta para as graves consequências legais da propagação de informações falsas em momentos de crise.

Com mais de dez notícias falsas já desmentidas, incluindo a suspensão das aulas e a liberação de presos, Oberdan Costa enfatiza como essas informações podem causar pânico e confusão, prejudicando as operações de resgate e a assistência humanitária.

A educação sobre mídia e informação é crucial para combater a disseminação de fake news, destaca Oberdan Costa, lembrando que essas notícias têm um impacto destrutivo muitas vezes irreversível. O presidente Lula também se pronunciou sobre o assunto, lamentando a propagação de notícias falsas e pedindo bom senso e responsabilidade por parte da sociedade.

A tragédia no Rio Grande do Sul ressalta a importância da informação confiável em momentos de crise, destacando a necessidade de verificação de fatos e educação digital para fortalecer a resiliência contra a desinformação.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper
Sesc
Bio Caldo - Quit Alimentos