Em encontro na China, Paulo Teixeira defende modernização agrícola sustentável

A agricultura familiar é um pilar essencial do nosso desenvolvimento rural, disse o ministro Paulo Teixeira - Imagem de jcomp no Freepik

No 2º Fórum Brasil-China, ministro enfatizou necessidade de tecnologias agrícolas que conciliem desenvolvimento e preservação ambiental


Por Agência Gov | via MDA

Nesta segunda-feira (03/06), aconteceu o 2º Fórum & Diálogos Intersetoriais Brasil-China de Luta contra a Pobreza e pela Revitalização Rural. Durante o evento, o Ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA), Paulo Teixeira, destacou a relevância da agricultura familiar e da modernização agrícola para o desenvolvimento sustentável.

"A agricultura familiar é um pilar essencial do nosso desenvolvimento rural. Precisamos investir em tecnologias que possibilitem a modernização agrícola sem perder de vista a sustentabilidade e a preservação ambiental," afirmou.

O fórum reuniu diversas mesas temáticas, abordando assuntos como modernização agrícola, agricultura familiar, desenvolvimento brasileiro, programa Fome Zero, bioinsumos, agroecologia, soberania alimentar e neoindustrialização no Brasil, com a participação de universidades brasileiras e chinesas, pesquisadores, movimentos sociais, empresários e representantes governamentais.

Teixeira também enfatizou a importância da cooperação entre Brasil e China para o avanço na luta contra a pobreza e a revitalização rural. Em seu discurso o ministro ressaltou: "A troca de experiências entre nossos países é fundamental para aprimorarmos nossas políticas públicas e desenvolvermos soluções inovadoras para o campo e as cidades."

Segundo o ministro, os bioinsumos e a agroecologia são alternativas viáveis e sustentáveis para a produção agrícola. "A utilização de bioinsumos e práticas agroecológicas não só contribui para a sustentabilidade do meio ambiente, mas também fortalece a soberania alimentar e a segurança dos nossos agricultores".

Outro ponto relevante abordado foi a neoindustrialização do Brasil, que, segundo Teixeira, deve estar alinhada com os princípios de sustentabilidade e inclusão social. "A neoindustrialização deve ser pensada de forma a integrar o desenvolvimento econômico com a justiça social e a preservação ambiental. Esse é o caminho para um futuro mais próspero e equitativo," concluiu.

Realizado em Pequim, o evento é fruto de uma parceria entre a Universidade de Brasília (UnB) e o Centro de Cooperação Econômica da China. O principal objetivo é fomentar trocas de experiências e o compartilhamento de tecnologias entre os dois países tanto para o campo quanto para as cidades. A expectativa é que as discussões resultem em propostas concretas e parcerias estratégicas que contribuam para o desenvolvimento rural e a erradicação da pobreza.

O fórum é um marco importante na agenda de cooperação internacional, reafirmando o compromisso dos dois países com o desenvolvimento sustentável e a promoção da qualidade de vida para suas populações rurais e urbanas.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper
Sesc
Bio Caldo - Quit Alimentos