Política

Balcão do Consumidor: Má prestação de serviços lidera lista de reclamações em Maués e Parintins

A má prestação de serviços públicos e privados liderou a lista de reclamações nas edições do Balcão do Consumidor nos municípios de Maués e Parintins, a 276 e 369 km de Manaus, respectivamente



As ações coordenadas pela Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (CDC/Aleam), na quinta-feira (3) e nesta sexta-feira (4), contou com a participação de representantes da Amazonas Energia e das operadoras Claro, TIM e Vivo, por meio de linha direta, via WhatsApp.

De acordo com o presidente da CDC/Aleam, deputado estadual João Luiz (Republicanos), do total de atendimento feito pela equipe da Comissão, 60% foram reclamações contra má prestação de serviços públicos de concessionárias (energia, água e telefonia), 15% contra má prestação de serviço privado (aquisição de produtos no comércio) e os 25% restantes foram de orientação jurídica. 

“O resultado do Balcão do Consumidor só comprova o quanto o cidadão, como consumidor, está atento aos seus direitos. E isso é gratificante, porque mostra que estamos no caminho certo, realizando um trabalho sério, com ações efetivas de orientação e educativa, junto à população da capital e do interior e, também, junto aos prestadores de serviço”, destacou João Luiz, ao acrescentar que as ações da CDC/Aleam no interior serão intensificadas cada vez mais.

O Republicou citou, ainda, a eficácia dos atendimentos do Balcão do Consumidor, que tem registrado nas últimas edições mais de 70% dos casos resolvidos no momento da ação. “Em Maués, um consumidor registrou uma reclamação contra uma loja, na qual adquiriu um notebook que apresentou defeito. O produto foi enviado pelo próprio estabelecimento à assistência técnica, onde passou seis meses e retornou com o mesmo problema. Mais uma vez, o consumidor procurou a loja, que informou a necessidade de encaminhar o notebook para São Paulo. Mas, passados dois meses, o aparelho ainda não retornou. Isso é um absurdo”, relatou João Luiz, ao informar que, uma vez registrada a reclamação, equipes da CDC/Aleam e do Procon-AM foram ao local para reivindicar os direitos do consumidor.

“Ao chegarmos na loja, conversamos com o gerente e explicamos situação relatada pelo consumidor. E, após muito diálogo, o estabelecimento reconheceu o seu erro e ressarciu o consumidor”, comentou o presidente da CDC/Aleam, ao acrescentar que esse foi apenas um dos casos resolvidos pela Comissão durante a ação em Maués e Parintins. 

Na manhã desta sexta-feira (4), durante o Balcão do Consumidor em Parintins, a equipe da CDC/Aleam foi acionada por clientes dos bancos Itaú e Caixa Econômica Federal quanto ao tempo de espera para atendimento. “Em parceria com o Procon-AM, fomos até as agências e constatamos o descumprimento da Lei das Filas. Conforme as senhas verificadas pelas equipes, o tempo de espera no Itaú era superior a 40 minutos, descumprindo a legislação em vigência”, completou João Luiz.

O coordenador de fiscalização do Procon-AM, Pedro Malta, explicou que, uma vez constatado o descumprimento da Lei das Filas, as agências do Itaú e Caixa foram autuadas e terão prazo de 15 dias para defesa. 


















Texto: Jeane Glay e Fotos: CDC/Aleam.

Postar um comentário

0 Comentários