Política

Foi criada no Distrito Federal, a primeira Secretaria Extraordinária da Família do País

Novo órgão tem o objetivo de unir o governo para enfrentar problemas sociais como violência, desemprego e drogas



O Distrito Federal ganhou, pela primeira vez, uma Secretaria Extraordinária da Família. A decisão do governador Ibaneis Rocha foi publicada no Diário Oficial do DF desta segunda-feira (28), por meio do Decreto nº 41.245. A nova pasta vai se dedicar aos assuntos voltados ao fortalecimento da base da sociedade brasileira, conforme preconiza o artigo 226, da Constituição Federal.

“O governo se volta ao núcleo da sociedade para debater e propor soluções de reconstrução no pós-pandemia”, afirma o novo titular da pasta, secretário Leo Vivas. Segundo ele, a proposta é ajudar mais as pessoas dentro de casa. “Nesse tempo de pandemia, muitas situações ruins se desenvolveram no seio das famílias: violência doméstica, uso de drogas, desemprego (…) Faremos uma ação conjunta com outras pastas para enfrentar tudo isto”, detalha.

Cristão, Vivas garante que o órgão não vai excluir qualquer tipo de estrutura familiar. “Não vamos fechar os olhos para nenhum tipo de família: seja de mãe e pais solteiros ou outras ligada a questão sexual. Não teremos discriminação. Vamos tratar tudo de forma democrática, conforme a lei”, sentencia.

Para Vivas, a pasta tem a missão de unir governo e sociedade. “Precisamos envolver mais o GDF com as diversas religiões para promover políticas públicas de estado que se aproxime mais da população”, prevê. Conforme decreto de criação, a Secretaria Extraordinária da Família terá uma coordenação de formação, desenvolvimento e fortalecimento da família e três diretorias: de políticas e promoção da família; de projetos; de assuntos religiosos.

Postar um comentário

0 Comentários