Intuição feminina é chave para o sucesso dos negócios

Empresa de aparelhos auditivos tem equipe formada apenas por mulheres e aposta em empatia, atenção e cuidado como diferenciais; segundo IBGE, 9,3 milhões de mulheres estão à frente de negócios no país



Mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, a abertura de empresas no primeiro semestre de 2021 foi a maior para o período no Brasil desde 2015. Segundo dados do Sebrae, até junho deste ano, cerca de 2,1 milhões de pequenos negócios foram criados, um aumento de 35% em relação ao registrado em 2020. Se o número de empresas cresceu, a quantidade de mulheres empreendedoras também.

De acordo com a última pesquisa sobre o tema realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 9,3 milhões de mulheres estão à frente de negócios no país. Em 2018, elas já eram 34% entre os “donos”. Ainda, na última edição do Global Entrepreneurship Monitor (GEM), de 2018, o Brasil ficou em sétimo lugar, entre 49 países, no ranking proporcional de mulheres à frente de empreendimentos iniciantes.

Para Márcia Bonetti, fonoaudióloga e responsável técnica da Audiba Aparelhos Auditivos, o que antes era considerado até mesmo uma fraqueza, hoje é uma das chaves para o crescimento e o sucesso dos empreendimentos: a sensibilidade feminina.

“O emocional, que antes era visto de forma negativa, hoje é encarado como um ponto forte, porque não são todos que o têm. Prestar um serviço, seja em uma venda, instalação ou consultoria, é estar presente na vida da pessoa. E as mulheres têm a delicadeza necessária para que as tarefas não sejam realizadas de forma mecânica, o que faz toda a diferença no resultado final”, destaca.

Força feminina – Com quatro unidades na região de Curitiba (PR), a Audiba possui uma equipe 100% feminina. Entre fonoaudiólogas, secretárias, profissionais de comunicação e assistentes administrativas, todas têm em comum o cuidado, o zelo, o carinho e a dedicação ao trabalho.

“A Audiba é conhecida por seu excelente atendimento. Por envolver uma questão um pouco mais delicada, a pessoa com perda auditiva chega até nós, muitas vezes, resistente, com uma postura defensiva. Mostramos que vamos estar presentes, acompanhando o paciente após a venda e cuidando de suas necessidades. Trabalhamos com o emocional e, nesses casos, o cuidado das mulheres é o diferencial”, explica Márcia.

Isso porque, segundo a fonoaudióloga, existe uma diferença quanto à prioridade do negócio. Enquanto os homens são, em geral, mais racionais e diretos no tratamento, com um maior foco em vendas, alcance de metas e menor tempo de atendimento, as mulheres se preocupam com uma atenção individualizada.

“Queremos mostrar para o paciente que, antes de uma venda, nossa principal preocupação é que ele seja bem cuidado e atendido em suas demandas. Pensamos que podemos oferecer mais do que a simples aquisição de um produto: uma palavra amiga, um cuidado. Uma equipe formada por mulheres oferece segurança e tranquilidade”, ressalta Bonetti.

Assim, além de uma maior fidelidade por parte dos clientes, o atendimento especializado também proporciona um crescimento de vendas. Afinal, quando você consegue dar mais atenção e dedicação a um paciente, as chances de vender um produto também aumentam.

Sobre a Audiba

A Audiba foi fundada em 2013, com foco em avaliações auditivas, comercialização e manutenção de aparelhos auditivos de alta tecnologia, oferecendo atendimento de qualidade, inclusive à domicílio, por meio de uma equipe experiente de fonoaudiologistas. A empresa conta com quatro unidades em Curitiba e Região Metropolitana. Mais informações: www.audiba.com.br.

Postar um comentário

0 Comentários