Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos e de políticas de atenção às pessoas com doenças raras

       



 

Primeira reunião técnica executiva da Frente Parlamentar discute propostas que contribuam com o aprimoramento da assistência à pessoa com doenças raras.

 

Em reunião realizada nesta quinta-feira (27/04), na Câmara Legislativa do DF, a Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos e de políticas de atenção às pessoas com doenças raras, representante do Poder Legislativo, das associações, instituições e da sociedade civil discutem ações necessárias e políticas públicas de Atenção aos Pacientes com Doenças Raras.

A reunião começa com uma breve apresentação dos representantes que compõem a frente, e que buscam equidade para pessoas que vivem com uma doença rara. Na ocasião manifestam senso de justiça e de atendimento às necessidades específicas dessas pessoas, assim como, dificuldade no atendimento, falta de medicamento, seguimento dos projetos específicos e a eliminação das barreiras que impedem sua plena participação na sociedade. 

Vinte itens diferentes que estavam na pauta foram abordados e sugeriram a criação de GTs e o lançamento da pedra fundamental, para dar mais celeridade e visibilidade a causa.

“A gente espera mais humanização, um olhar com o coração sobre os pacientes com doenças raras que enfrentam dificuldade em obter tratamento necessário junto ao poder público”, afirma Lauda Santos, presidente da Associação Maria Vitoria de Doenças Raras e Crônicas (Amaviraras) e cofundadora e vice-presidente da Federação Brasileira das Associações de Doenças Raras (Febrararas). 

Diversas pautas e desafios foram citados para dar seguimento aos avanços necessários e trazer maior qualidade de vida para os pacientes que convivem com essas condições. Lauda também solicitou a doação de um espaço para funcionar como uma casa de abrigo em apoio aos familiares e pacientes que estão em tratamento em Brasília. 

O deputado distrital Eduardo Pedrosa, presidente da comissão e do conselho executivo, contou que teve uma conversa com o governador e reforçou seu compromisso com as demandas da Frente Parlamentar, “já tem um tempinho que estamos juntos nessa caminhada, tive uma conversa promissora com o governador sobre a construção do centro de referência dos raros e nos próximos dias vamos trabalhar para construir a complementação orçamentária, reafirmo meu compromisso com a causa das pessoas com doenças raras”, destaca o deputado. 

 


Doenças Raras 

As doenças raras não têm cura. Cerca de 30% dos pacientes acometidos por elas morrem antes dos cinco anos, uma vez que 75% delas afetam crianças, o que não impede que adultos também possam adquiri-las. Estima-se que 13 milhões de pessoas vivam no Brasil com doenças raras, segundo pesquisa da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma).

São exemplos de doenças raras a Doença de Crohn, a esclerose múltipla, a fibrose cística; a hemofilia; o lúpus eritematoso sistêmico, entre outras. Existem mais de 9.000 doenças raras, que são crônicas, progressivas, degenerativas, incapacitantes e frequentemente ameaçadoras à vida. Considera-se doença rara aquela que afeta até 65 pessoas em cada 100.000 indivíduos, ou seja, 1,3 pessoas para cada 2.000 indivíduos.

 



Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper
Sesc
Bio Caldo - Quit Alimentos