Banco Mundial apoia polo demonstrativo do agro sustentável na Amazônia

 


“O polo Rondônia será uma oportunidade de demonstrar aos 30 milhoes de amazônidas e ao mundo que é possível conciliar desenvolvimento sustentável, empregos dignos de base biológica com a construção de um planeta melhor”, assim Diego Arias, Gerente de Agricultura e Alimentação do Banco Mundial para América Latina e Caribe reafirma o apoio da Agência de Fomento à iniciativa do Instituto Fórum do Futuro em vídeo gravado especialmente para a Rede do Conhecimento.

Ele explica: “acompanhamos muito de perto o Fórum e os trabalhos de Alysson Paolinelli, que têm inspirado um novo olhar sobre o desenvolvimento sustentável tropical, mas também sobre a necessidade de comunicar e de gerir de forma integrada tantos conhecimentos”

Diego se aproximou do Fórum ainda no início da formatação do “Think Tank” independente, quando trabalhava, em 2016, em Brasília, como representante do Banco para o setor da Agricultura,

Para ele, “Polo do Desenvolvimento da Bioeconomia Sustentável, Inclusiva e Saudável” de Rondônia é uma oportunidade de colocar em prática conceitos e tecnologias que provam de como a Agricultura é capaz de atingir resultados econômicos, sociais e ambientais de forma simultânea.

Arias ressalta que a repercussão deste trabalho vai muito além: “como líder em ciência e tecnologia agrícola, o Brasil pode espraiar essas soluções sustentáveis para todo o mundo tropical, com impacto positivo   o meio ambiente, mas também para a sociedade”.

E alerta para a necessidade de integrar na proposta os atores locais, os empresários, a academia e os representantes da sociedade civil.

“O presidente do Banco, Ajay Banga, defende que a redução da pobreza deve ser atingida com empregos dignos em bases sustentáveis, mas deixando um Planeta habitável, onde possamos morar”, completa Diego Arias, afirmando que “o Banco Mundial está aqui para apoiar” referindo-se ao Polo de Rondônia.

 

Reunião da rede do conhecimento

Com densa participação de instituições do conhecimento, pesquisadores, gestores e comunicadores, reafirmando seu caráter multidisciplinar e colaborativo, a reunião do dia 11/09, segunda-feira, iniciou o debate a respeito da eleição de prioridades do “Plano Mínimo de Trabalho” que vai irrigar o design do projeto executivo do Polo Rondônia.

Fomos brindados com a participação do Reitor em exercício da Universidade de Lavras, Marcio Ladeira; do Chairman para assuntos técnicos e científicos do Fórum, Evaldo Vilela, do ex-Ministro do Planejamento, Paulo Haddad, e de José Osvaldo Siqueira, da academia brasileira de Ciências, além de muitos outros colaboradores importantes. Da comunidade cientifica do estado, estiverem presentes representantes das reitorias da UNIR e do IFRO, bem como a chefe-geral da Embrapa Rondônia, Lúcia Wadt.

Oberdan Ermita, Presidente do SICOOB-RIO, signatário do projeto ao lado do Fórum do Futuro e do Banco Mundial, representou a visão das demandas locais, num trabalho coordenado pelo Presidente Executivo do Fórum, Emiliano Botelho.

 

Em anexo, o link que permite acompanhar a integra do evento:

 

https://drive.google.com/file/d/1l4sUWcnKp98qSCh9fpu5ZY1HKv1Gy20Z/view?usp=sharing


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper
Sesc
Bio Caldo - Quit Alimentos