Neurocirurgiã alerta sobre riscos do abuso de medicamentos para dormir

 


Em recente entrevista à imprensa, o apresentador Geraldo Luís relatou o seu vício em Zolpidem, um medicamento indicado para o tratamento de distúrbios do sono. Ele contou que há cinco anos depende do medicamento.

 

Em abril deste ano, o cantor Fernando Zor também compartilhou seu drama com o uso do medicamento e alertou para os riscos do abuso de remédios para dormir.

 

Geraldo Luís e Fernando Zor não estão sozinhos no uso de medicamentos para o sono. De acordo com a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), o Brasil tem registrado a venda de mais de 1,5 milhão de caixas de Zolpidem a cada ano, sendo que em 2020, esse número chegou a quase 2 milhões.

 

O remédio tem as suas indicações, mas a neurocirurgiã goiana Ana Maria Moura alerta para os riscos de abusos, uso inadequado e da dependência. Ela conta que muitos pacientes já chegam ao consultório pedindo a receita do medicamento.

 

Porém, o tratamento para distúrbios do sono é mais complexo. Exige mudanças de hábitos, acompanhamento médico e, também, psicológico e determinação do paciente, pois não há uma fórmula mágica e o simples uso de medicamentos pode criar um novo problema, desencadeando a dependência do produto.

 

“A qualidade e o respeito ao tempo diário de sono são muito importantes para a boa saúde e a prevenção de doenças”, afirma, acrescentando que a privação de sono compromete a imunidade, piora a condição clínica, afeta a memória e predispõe a doenças neurodegenerativas.

 

Por isso, quem enfrenta dificuldades para dormir deve procurar ajuda médica e seguir o tratamento indicado e pelo tempo determinado.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper
Sesc
Bio Caldo - Quit Alimentos