Reunião do Conselho da Mulher debate violência de gênero, equidade e dignidade menstrual

O Conselho dos Direitos da Mulher é formado por 25 representantes femininas da administração pública e da sociedade civil | Fotos: Vinicius de Melo/ SMDF

Após o encontro, grupo formado por mulheres da administração pública e da sociedade civil organizou ato em celebração ao Dia Nacional da Mulher


Por Agência Brasília* | Edição: Carolina Caraballo

O Conselho dos Direitos da Mulher do Distrito Federal (CDM-DF) realizou, nessa segunda-feira (29), sua 4ª Reunião Ordinária, no Anexo do Palácio do Buriti. O colegiado, ligado à Secretaria da Mulher (SMDF), é de natureza consultiva e deliberativa, formado por 25 mulheres da administração pública e da sociedade civil.

Os principais assuntos abordados durante a reunião foram Lei Salarial, violência política de gênero, dignidade menstrual e o planejamento do Plano Distrital de Políticas Públicas para Mulheres (PDPM). Esses temas têm como objetivo a emancipação das mulheres e da sociedade, por meio da luta contra a violência de gênero e da construção de uma cultura de equidade.

A vice-presidente suplente, Hilda Pellizzi, representante do Grupo Mulheres do Brasil, enfatizou a importância do monitoramento das ações junto ao Governo do Distrito Federal. "Sabemos que muitas ações estão sendo realizadas diuturnamente. É importante que, com o apoio do GDF, nós, sociedade civil, possamos mapear, controlar e avaliar as políticas públicas para que tenhamos a eficácia necessária e mais mulheres sejam atendidas por elas", afirmou.

Ação entregou cartilhas informativas e flores para as mulheres que passavam pelo Eixo Monumental, em frente ao Palácio do Buriti

Dia Nacional da Mulher

Anualmente, em 30 de abril, é celebrado o Dia Nacional da Mulher, uma ocasião importante para promover a igualdade de gênero e os direitos das mulheres na sociedade. Pensando nisso, ao fim da reunião, as representantes do CDM realizaram uma ação em frente ao Palácio do Buriti, no Eixo Monumental.

Com uma faixa comemorativa ao dia que trazia a frase "Que todas as mulheres saibam com quem contar", o movimento, além de entregar cartilhas informativas e flores para as mulheres que passavam, também reforçou a importância do combate ao sexismo, à misoginia e a todos os outros tipos de discriminações contra o gênero feminino.

*Com informações da Secretaria da Mulher do Distrito Federal (SMDF)

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Comper
Sesc
Bio Caldo - Quit Alimentos